sábado, 24 de outubro de 2009

E eu que passei anos sem comer ovos!

Eu falava em outro post sobre a falsa impressão das pessoas com relação a a neutralidade do cientista, do psicólogo, do juiz. Pois hoje, aproveitando, penso naquelas verdades das ciências, incontestáveis, imutáveis...Lembram da absolvição do ovo? Absolvição do ovo foi de lascar...Parece nome de filme de quinta categoria: "A absolvição do ovo - a revanche"...Mas, continuando, todo mundo lembra que não faz muito fomos condenados a viver a eternidade sem o ovo. E tomar leite e comer melancia, lembra que não podia? Eu que adoro um café com leite, passava uma agonia esperando o tempo passar para comer um pedaço gelado de melancia! Aaai, que raiva! Rsrsrss! Tudo inútil! Agora descubro que outras verdades não eram tão verdadeiras assim. A revista Galileu deste mês está espetacular, e nela li que alguns mitos estão caindo, como o de que televisão emburrece a criança e que filmes violentos geram mais violência.
O queeeee? Sim, televisão não emburrece e filmes violentos não geram mais violência. Segundo a reportagem, crianças que assistem televisão, comparadas com aquelas que não tem permissão ou acesso à telinha, saem-se melhor em provas. A televisão ensina vocabulário a nossos pequenos. Seguidamente meu filho vem me perguntar o significado de uma palavra que ouviu em um desenho animado, coisa que nunca acontece quando volta da aula. Pode? A televisão tem o mérito também de aumentar o interesse das crianças porque a linguagem é lúdica. O que você acha: seu filho gostou mais de aprender sobre mamíferos na escola ou na comédia de seu canal preferido? E eles aprendem realmente, não é apenas um "receber passivo"! O efeito ocorre também entre crianças com ou sem acesso a internet. Aí, então, a diferença de aprendizado era muito maior.Será?
Outra questão levantada pela revista é que os filmes violentos não aumentam a violência nas ruas, mas tem que ser aqueles filmes com muuuuita pancadaria. Conforme pesquisadores, na noite em que os filmes eram exibidos caíam muito as taxas de criminalidade e essa queda prosseguia na noite posterior à exibição. Porque? Não sei! A revista não explica, mas uma das causas prováveis dessa queda é que nos cinemas é proibido beber. Mesmo que os possíveis agressores continuem agitando as ruas após a sessão, já partiram para a "nigth" bebendo menos!
Não tá acreditando né? Dá uma olhadinha na revista que tuas convicções vão mudar. Eu li a reportagem na revista "de papel", mas se tiver interessado (a), o endereço da Galileu online está logo acima!
Diz aí falou e disse! E eu que passei anos sem comer ovos...
Quer ler mais? Veja:

4 comentários:

Gilberto Queiroz disse...

Ola minha amiga Claudinha...
Fico muito feliz em saber que voce gosta do que eu escrevo.
Saiba que eu tenhoum grande apreço pelos trabalho de Carlos Drumont de Andrade também.
Acabei de me tornar mais um seguidor de seu blog e Obrigado pelas sabias palavras deixadas em meu blog.

Gilberto Queiroz
http://culturanobre.blogspot.com

Claudinha disse...

Gilberto:
Obrigada por ter assinado meu blog. Na verdade, Drummond é tudo de bom! Como não gostar? Você conhece a poeisa abaixo?

As Sem-razões do Amor (Carlos Drummond de Andrade)

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Bjs no coração

Sara disse...

Claudia querida! Olha, seu blog esta cada dia mais interessante. Daqui a pouco vc vai estar escrevendo um livro e vou querer autografo! Aproveito o espaco para parabenizar seu esposo pelo dia de hoje. Felicidades para vcs ai no Brasil!
Bom final de semana!
Sara

Claudinha disse...

Sara!
Se eu escrever um livro, o primeiro exemplar vai ser teu! Rsrsr! Mas tem que ler mesmo, não fingir que tá lendo! Rsrsrs!
Obrigada pelo maridão!
Beijos para vocês e em especial para o David!