terça-feira, 29 de setembro de 2009

Isabela Nardoni

Gente! Li algo ontem que preciso dividir com todos: a morte da menina Isabela pode ter sido acidental. Lembram daquela menina que foi encontrada morta e acusaram o pai e a madrasta de tê-la jogado da janela do quarto? Pois é...Pode ter sido acidental.
Estou pasma! Pasma porque só agora viram isso? Só agora que os "possíveis" assassinos foram julgados pela sociedade (e esse julgamento é pior do que o julgamento do Judiciário!) é que se deram conta que talvez tenha sido um acidente?
Eu não sei se foi acidente ou se a menina foi jogada, e nessa última hipótese  por quem foi jogada, mas não parece óbvio para todos que só se acusa quando as provas são suficientemente claras para isso? Há um dito conhecidíssimo no meio jurídico: em dúvida, decide-se pelo réu.
Vejam bem: eu não tenho simpatia nenhuma pelo casal acusado. Eles ou o senhor invisível,para mim, são iguais. Não me interesso ou deixo de me interessar por eles. O que me comove é o fato em si: pessoas acusadas, talvez injustamente, de uma forma estrondorosa, ruidosa, escandalosa.
Eu me lembro de um outro fato, tão ruidoso quanto esse. Donos de uma creche, se não me enganam em São Paulo, foram acusados de molestar sexualmente de crianças que cuidavam. Foram presos, televisões, jornais noticiando e coisa e tal. A creche foi apedrejada. Descubriu-se que os acusados não tinham "culpa no cartório". E agora? Todo o Brasil tinha visto o casal pela televisão, feito o seu julgamento. E daí? Como fazer para viver depois disso? O casal perdeu o seu negócio, o seu ganha-pão. Ficou marcado. Quem lhes devolveria a vida?
O casal Nardoni irá a julgamento, a júri popular. Será condenado, com certeza. Porque?

1 comentários:

Sissym disse...

Claudia, realmente decidir sem provas concretas é sempre perigoso. Errar de maneira que acabe com a moral da pessoas é lastimável, mas trabalhando com hipóteses sempre há 50% de erro ou acerto. Bjs